segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Raio-X da Telinha: Ashton Kutcher e seu Walden Schmidt, na nona temporada de "Two and a Half Men” (Warner Channel/ SBT): Cola ou não cola?

    

Raio-X da Telinha:  Ashton Kutcher e seu Walden Schmidt, na nona temporada de "Two and a Half Men”  (Warner Channel/ SBT): Cola ou não cola? 
  •           Cotação: Regular.  **.

  “Two and a Half Men", a  sitcom de comédia norte-americana mais popular da Warner Channel, chega à sua nona  temporada, e é exibida no Brasil pelo SBT (que assinou contrato de exibição das séries da Warner no Brasil), e pelo canal pago Warner Channel.  Porém, após a demissão do astro polêmico e alucinado Charlie Sheen (que vivia o beberrão Charlie Harper), devido à conduta do mesmo fora do set de filmagens, leia-se envolvimento com drogas e diversas polêmicas, entre elas, o bate-boca homérico que o astro terá tido com o produtor da série, Chuck Lorre, que o demitiu do elenco fixo em 7 de março de 2011, o elenco ganhou um novo protagonista.
         Para essa nova temporada, o substituto de peso para Sheen foi o galã do cinema Ashton Kutcher (conhecido por protagonizar o famoso e bem-sucedido blockbuster de ficção científica e suspense, “Efeito Borboleta”, de 2004 (pelo qual teve sua atuação elogiada pela crítica especializada); e que não é menos polêmico em sua vida pessoal do que o protagnonista anterior, já que correm boatos de que o mesmo teria traído sua atual ex-esposa Demi Moore, no aniversário de casamento de ambos com uma modelo brasileira radicada nos EUA). Polêmicas à parte, na série de horário nobre da Warner, Kutcher interpreta o nerd bilionário da internet Walden Schimidt, que passa por problemas amorosos ao se separar da esposa, Bridget (vivida ela atriz Judy Greer). O endividado, não menos sofredor e igualmente azarado com as mulheres, Alan (interpretado pelo excelente Jon Cryer) o salva de um mal sucedido suicídio, dando conselhos e o acolhendo na mansão do falecido Charlie Harper (ex-personagen de Sheen) em Malibu, onde Walden viverá ao lado de seu dramático salvador, da desbocada e debochada Berta (vivida pela talentosíssima Conchata Ferrell)  e do filho adolescente de Alan e sua ex-esposa, Judith (vivida pela atriz Marin Hinkle), o adolescente  Jake (vivido pelo jovem ator revelação Angus T. Jones). 
          Em sua estréia nos EUA, a nona temporada de “Two and a Half Men” alcançou o 1° lugar das mais vistas no Ibope. Entretanto, apesar de estar alcançando altos pódios de audiência, a série tem mostrado muitas falhas de roteiro, no que diz respeito a uma construção mais definida do personagem de Kutcher. Ele surgiu inicialmente como o depressivo salvo por Alan, que, depois, com os conselhos do mesmo, passou a ser o conquistador, aparecendo em dois episódios com conquistas de sexo casual, dentre elas, ao lado da ex de Charlie Harper, Courtney, codinome de Sylvia Fishman (vivida pela atriz Jenny McCarthy), uma golpista e femme fatalle que adora aventuras sexuais. Após as aventuras sexuais que vive, ele volta a deprimir-se e acaba se consultando com a sarcástica psicanalista do falecido Charlie Harper,  a Drª. Linda Freeman  (vivida magistralmente pela atriz Jane Lynch), que o ‘cura’ de sua depressão e manias excêntricas, como a de agir como criança e gostar de ser paparicado.
        Ao que tudo indicava, as confusões de roteiro teriam acabado, mas elas não pararam por aí. Alguns episódios adiante, Walden conhece a mãe de Alan, a socialite e corretora de imóveis Evelyn Harper (vivida pela excelente atriz Holland Taylor), uma mãe ausente e despreocupada com os filhos, e definida por Alan como uma “raposa”, uma mulher idosa que gosta de ter aventuras sexuais com jovens. Ela se apresenta a Walden como decoradora de ambientes, e o seduz, levando-o para a cama. E nos próximos episódios, irá ao ar uma surpresa bombástica: Alan e Walden irão para a cama.  O que fica implícito é que tal aventura amorosa aconteceu pelo fato de a ex esposa de Walden encontrá-lo com Alan no cinema, e de os dois abraçarem-se ao verem juntos o filme que ela e o novo namorado também viam, o que aumentou as suspeitas de que os dois eram um casal.
           Pelo visto, os roteiristas estão perdidos para criar uma definição mais clara e convincente do personagem de Kutcher, que tenha traços psicológicos e de caracterização de personalidade  que não sejam idênticos aos do personagem de Cryer (o desquitado sofredor Alan )  ou daqueles que definiam o personagem do egocêntrico e polêmico Sheen (o beberrão, festeiro e mulherengo quarentão Charlie, que o ator levou para a vida real, adotando o estilo de vida do personagem como o seu), personagens que são a marca registrada da série. Kutcher tem talento, mas os roteiristas têm explorado pouquíssimo a oportunidade de criar um personagem único e que não seja uma reprise do personagem falecido e do irmão falido do mesmo. Se continuar assim, há uma grande possibilidade de a série acabar definitivamente na nona temporada.
    ‘Two and a Half Men”, em sua nona temporada, vai ao ar na Warner às terças feiras, às 20h, e às terças e quintas no SBT, às 01h. Assistam e tirem suas próprias conclusões!




                   Maria Rosa Dias – 27/12/11.