quinta-feira, 10 de março de 2011

Dica de DVD: "De Olhos Bem Fechados" ("Eyes Wide Shut"). Com: Tom Cruise e Nicole Kidman.


Crítica: "De Olhos Bem Fechados", de Stanley Kubrick: A polêmica inversão da troca de papéis sociais com  a temática da Traição.
  •     Cotação: 5 estrelas. 

   Como falar do polêmico Stanley Kubrick (1928 - 1999)?  Sem dúvidas, podemos definir todo os seus trabalhos como sendo intensos, provocativos e à frente de seu tempo. Talvez por ser merecedor de tantas definições fortes,  é que ele tenha ficado conhecido, durante toda a sua vida, como um diretor/ produtor cinematográfico 'cult',  cujos filmes tinham fama de ser complexos e pouco populares, não agradando á massa que normalmente freqüenta os cinemas, ávida por novidades. E o mais curioso é que, por muito tempo, ele foi crucificado pela crítica especializada, que não aceitava seus filmes excêntricos. Porém, esta mesma crítica, anos mais tarde, passou a valorizar e respeitar seu trabalho, considerando seus filmes como obras clássicas.
   Com base nisso, já podemos imaginar o que nos espera em "De Olhos Bem Fechados". Uma dica: Prepare-se para perder o fôlego, e ser guiado por uma trama de suspense, dramas psicológicos e intrigas sexuais do começo ao fim, com toda a intensidade e exagero que caracterizam as obras de Kubrick. Este filme é uma obra de roteiro adaptado, ou seja, a história é baseada em outras fontes, e, neste caso, a inspiração do filme é o romance "Traumnovelle", do escritor alemão Arthur Schnitzler.
   Os protagonistas deste "thriller psicosexual" são os excelentes Tom Cruise e Nicole Kidman, que possuem uma filmografia elogiadíssima pela crítica epecializada e admiradíssima pelo público, e uma sensiblidde e intensidade absurdas para encarnarnar suas personagens, que nunca soam estereotipadas ou presas a clichês.
   Tom Cruise e Nicole Kidman (que eram casados durante a filmagem do longa), interpretam o casal Dr. Bill Harford, um clínico-geral, e Alice Harford, ex-curadora de arte de um museu local, recém-falido. Ambos tem uma filha de nove anos, Helena (a pequena Madison Eginton), e um casamento de 9 anos, aparentemente feliz e bem-sucedido. Porém, a relação dos dois entra em crise após Alice (Kidman) confessar a Bill (Cruise), que já se sentiu  atraída sexualmente por outro, e que seria capaz de qualquer loucura para ter uma noite de amor com o desconhecido, até mesmo abandonar o marido, a filha pequena  e os planos para o fuuro que o casal fazia.
   A partir daí, a trama gira em torno da tensão psicológica de Bill Harford (Cruise), e do início de seu transtorno emocional e psicológico, no qual ele imagina sua esposa o traindo repetidas vezes. Transtornado, Bill se vê em várias encruzilhadas, desde as tentativas frustradas de traição à sua esposa, até o aterrador momento em que ele se infiltra misteriosamente em um obscuro baile de máscaras, que envolve um ritual orgíaco, e que trará consequências terríveis à sua vida.
   Neste filme, há a inversão de papéis sociais, atribuídos ao homem  á mulher, no que se refere à polêmica temática da traição. No papel social clássico, o homem trai sem se importar com as consequências, como se agisse certo e fizeesse o papel de 'macho', e em oposição à essa postura, a mulher vê a traição de um modo esencialmente negativo, e procura evitá-la a todo custo. Porém, em alguns casos, se a mulher ainda tem sentimentos pelo homem, ela se propõe a discutir a relação, para ver o que pode ou não ser concertado.
 No caso do filme, Bill (Cruise), é um homem moralmente correto, que que nunca pensou em trair a esposa e abandonar a família, em oposição à Alice (Kidman), uma mulher lasciva e libertina, que é capaz de qualquer coisa para satisfazer seu apetite sexual.
  Opiniões e críticas à parte, o mais importante é que assistam a esse filme interessantíssimo, com a mente aberta, e tirem suas próprias conclusões! Vale a pena! Isso eu lhes garanto!



    Crítica escrita nos dias:  06/03/11 e 07/03/11.
  

                                            Maria Rosa Dias.

14 comentários:

  1. O Tom Cruise para eu, é um dos maiores astros da história do cinema e dentre muitos, um dos meus atores prediletos.

    Em 'Eyes Wide Shut', parceria com falecido Stanley Kubrick e na época sua então esposa, Nicole Kidman, podemos apreciar uma grande obra cinematografica.

    Mari,

    Você foi muito feliz ao escrever esta resenha, e nela expor seu real e verdadeiro amor por este filme fantástico. Parabéns!

    Um abraço bem forte e muito sucesso!

    Clemente.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Olá MARI! Gostei de ver seus Blogs e de seu gosto pelo cinema.Obrigado por me seguir.
    Em primeiro lugar,não acho que posso fazer uma "Crítica" ao filme que você citou pois não o ví ainda.Sei alguma coisa a respeito e soube ontem que ele será reprisado,neste sábado,19 de março, no "Cine Belas Artes" ,que é uma sessão de cinema que passa aos sábados no SBT.Então vou vê-lo e depois farei meus comentários neste domingo,e postarei essa minha opinião no seu Blog. Mas só de ser um filme do Stanley Kubrick,já tem méritos,pois ele foi um grande Diretor. Ví filmes dele,inclusive o"2001,Uma Odisséia no Espaço"...
    E pelo jeito,você é muito ativa,pois embora jóvem,já fez e faz muitas atividades em prol da cultura.
    Gostei mesmo do seu modo de escrever e ver as coisas. Siga em frente e boa semana.
    Abraços ...Antônio,de Goiânia,GO.

    ResponderExcluir
  4. temática bem interessante, mari! eu diria que esse é um filme que todo homem deveria assistir =] ´rsrs

    ResponderExcluir
  5. Arrasando a cada novidade!
    Artista nata!
    Sucesso!

    ResponderExcluir
  6. vi esse filme há muito tempo, e inclusive, ia passar no sbt. A temática é bem interessante.
    Obrigada por ter visitado meu blog, fico feliz que tenha gostado de lá!Seja sempre bem vindo!
    abraço!

    ResponderExcluir
  7. Olá MARI ! Bom dia ! Conforme prometi,ví o filme e praticamente não tenho muito a dizer do mesmo além do que você já disse aí em cima. É realmente um filme intrigante,bom como Cinema de análise de comportamento,e que mostra nossos medos e traumas ligados ao amor e ao sexo,que não se podem confundir. Só não concordo com a idéia de que a Esposa aqui da História tenha uma vida promíscua. Ela tinha sonhos com um outro homem. Já o Marido,querendo se aventurar,não teve corágem de trair e deu no que deu. Parece uma lição de moral,no fim. Venceu o amor,mas deixa transparecer que o Diretor quis agradar as mulheres ,e alguns cinéfilos como eu... e conseguiu. Gostei do filme mesmo. Porém lhe digo com sinceridade: o Tom Cruise não é dos meus atores favoritos! E beleza por beleza,prefiro a Nicole Kidman ...rssss.
    Aí já falei como homem e não apenas apreciador do Cinema,me desculpe.
    Se quiser outro contato, estou no Windows Live e Hotmail: antonio_lex@hotmail.com. E também no Orkut :antoniolex02@Gmail.com (ANTONIO LUIZ GOMES).
    Bom domingo Mari !

    ResponderExcluir
  8. Maravilhosa a crítica, certamente irei assistí-lo assim que possível for. Eu já assisti a vários filmes de Kubrik, dentre eles O Iluminado, 2001 e Laranja Mecânica, todos abordam temáticas diferentes, são inteligentes e provocativos. Seus filmes não acabam quando aparecem a lista de créditos, eles continuam em debates realizados por nós mesmos, individualmente ou em grupos, pois há sempre pormenores que tornam a obra de Stanley uma das mais completas e complexas. Até onde eu sei, ele, infelizmente, nunca recebeu o Oscar de melhor diretor ou filme, embora tenha concorrido. Não sei se fui claro no que eu disse, mas parabéns por este blogue, já estou a seguí-lo.

    Continue com este bom trabalho, muita sorte e muito trabalho em sua jornada.

    Guilherme Tassoni

    www.decadasdesom.blogspot.com
    www.guilhermetassoni.wordpress.com

    ResponderExcluir
  9. Sempre com palavras preciosas, seja sobre a 6ª Arte (Poesia), seja sobre a 7ª... parabéns, querida!

    ResponderExcluir
  10. E caso queiras ler as minhas Críticas de Cinema: http://www.entrementes.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Visão critica interessante, clareza e precisão em seus comentarios. Você revela uma grande paixão pelas artes, tens muito talento, já assisti a esse filme e confesso que me intrigou muito.
    Parabéns pelo blog. Peço-te que continue visitando o meu e lendo os posts mais antigos, abraço
    J. Sollo

    ResponderExcluir
  12. Você escreve críticas muito boas... Elas realmente fazem agente querer assistir ao filme...
    o jeito que você compreende e narra o que o filme quer mostrar é interessante...
    Parabéns pelo Blog!

    ResponderExcluir
  13. Este é um filme estonteante, uma clássica obra delicada de uma sensualidade extremamente cativante...

    ResponderExcluir